Dois federais

Segundo o vice-prefeito Juliano Polese Branco :fizemos uma reunião do partido (PP), na sexta-feira, quando decidimos pela minha não presença na disputa. O presidente do partido deverá dar mais detalhes a respeito.                                                                                   Já o prefeito  Ceron, durante a coletiva, explicou que diante do desgaste sofrido por Carmen Zanotto ao ser candidata  a vice-governadora pelo MDB, e depois preterida na costura com o PSDB da coligação de Mauro Mariani, convidou-a para se integrar ao grupo do PSD, DEM, PP e outros partidos. “Seria natural para nós trabalharmos com ela, já que a atuação da Carmen Zanotto no parlamento é reconhecido. Mas ela optou por ficar no outro grupo político. Assim, deveremos ter um candidato a Federal”, disse Ceron.                                                                                                                                                                         Ceron citou uma lista de lideranças como Evaldo Amaral, Paulo Duarte, Raimundo Colombo, Corujan, Ivan Ranzolin que se elegeram Federal mesmo tendo adversário em âmbito local. “É natural que haja opção ao eleitor”.

 

Primeiro comício

Novamente Lages se transforma na capital política do Estado, quando na próxima quinta-feira (16), a coligação PSD/PP/DEM e outros partidos, que somam 11 no momento, dão início a campanha eleitoral, com a primeira grande concentração dos candidatos.

Segundo Antônio Ceron, presidente estadual do PSD, Lages foi escolhida estrategicamente pela posição geográfica, proporcionando que caravanas de todas as regiões estejam presentes, “mas principalmente da Amures, Amavi, Amarp, Ameosc, Amplanorte e todas as demais, que estão sendo convidadas.

Com quase 100 candidaturas a mais que seu concorrente direto, Gelson Merisio (PSD) conseguiu estruturar uma aliança que cobre todas as regiões de Santa Catarina. A coligação “Aqui é trabalho” conta com quase 300 candidatos a deputado estadual e a deputado federal que percorrerão todos os municípios catarinenses a partir do dia 16 de agosto, quando se inicia o período oficial da campanha eleitoral neste ano.

Serviço

Comício campanha PSD/PP/DEM e demais coligados Data: 16 agosto / quinta-feira Horário: 19h30min Local: Centro Serra

A Carmen e o CL

Como tem muitos amigos na redação de nosso jornal local o CL, a deputada federal Carmen Zanotto recebeu na edição de hoje, duas generosas páginas. Como foi preterida na escolha como candidata a vice governadora, nossa deputada batalhadora pelas causas da saúde, agora é candidata a reeleição. Nas matérias só esqueceram de falar, se caso reeleita, se a deputada vai cumprir os quatro anos de mandato ?                                                                                                               Pergunta que deve ser feita para os candidatos a deputado estadual também. O que não precisamos é de trampolim eleitoral, mas sim de representatividade.

Definindo suplentes

A aliança que apoia Gelson Merisio (PSD) ao governo definiu nesta segunda-feira os suplentes de Esperidião Amin (PP) e Raimundo Colombo (PSD) no senado.

O ex-governador Raimundo Colombo terá o ex-prefeito itajaiense e ex-deputado estadual Jandir Bellini como primeira opção e o deputado estadual Narcizo Parisotto (PSC) como segunda. Amin virá com dois nomes pessedistas: o ex-senador Geraldo Althoff e Denise dos Santos, mulher do deputado estadual Ismael dos Santos.

Já na chapa de Mauro Mariani (MDB) ao governo, ainda estão sendo feitas as últimas definições. Certo é que Jorginho Mello (PR) terá como primeira suplente Ivete Appel da Silveira (MDB), viúva do ex-governador Luiz Henrique da Silveira, e o segundo será Beto Martins (PSDB), ex-prefeito de Imbituba. Enquanto isso, o senador Paulo Bauer (PSDB), candidato à reeleição, deve ter dois suplentes emedebistas — ainda não definidos.

Os preteridos

A deputada Carmen Zanotto dormiu candidata a vice-governadora e acordou como candidata a reeleição, preterida que foi pelo Mauro Mariani. Outro do lado do MDB foi o Juarez Mattos, que inclusive postou mensagem dizendo que iria para a convenção como candidato a deputado, mas não emplacou. No lado do PP Luiz Marin era um dos quatros nomes da serra para deputado federal, como houve confusão na hora de elaborar a lista na convenção , preferiu reclamar via facebook e ficou de fora, mas como já havia desistido quatro anos atrás não é novidade.

Já temos candidatos

Gelson Merisio com Kleinubing de vice e Amin e Colombo ao Senado foi a coligação feita pelo PSD/DEM/PP mais onze partidos. Mauro Mariani com Napoleão de vice e Paulo Bauer e Jorginho Mello ao Senado é a coligação do MDB/PSDB/PR. O PT vai de Décio Lima. Quem dançou nesta composição foi Carmen Zanotto que era vice de Mariani e foi trocada no apagar das luzes.

Desclassificado e recalcado

Vereador Jair Jr. que foi eleito com o dinheiro e apoio do PSD, mas que critica seu próprio partido, vem agora atacar o PP. Como ilustre desconhecido, vereador que até agora não justificou o belo salário que recebe como edil, não tem moral para criticar quem quer que seja. Apelidado de menino maluquinho, talibã, etc, é apenas um menino mimado, sendo defendido pelo pai no ataque a jornalistas e pessoas que critica ou na tribuna ou nos microfones de rádios. Não explicou até agora os salários a mais em sua folha, quando funcionário da Assembléia Legislativa, nem o auxílio na campanha do DCE/UNIPLAC, nem seu funcionário trabalhando em dois locais ao mesmo tempo. Criticou o legado dos JASC, mas coordenou os Jogos Universitários, com a ajuda da Prefa. Suas denúncias, dedo duro é sua especialidade, batem sempre na trave. A mais recente foi a CPI do Brilho de Natal, um verdadeiro tiro no pé. É o novo do velho.

Sobrando candidatos

Pelo número de candidatos a deputado estadual e federal aqui em Lages, tem gente apostando que alguns não fazem o peso em votos. Alguns ilustres desconhecidos mas que roubam votos de quem tem estrutura eleitoral para se eleger. Alguns com certeza não se elegem nem para vereador. Acho interessante que a Acil ou CDL, ou ambas as entidades, se reunissem e lançassem a campanha lageano vota em lageano e que intimassem os partidos a rever os nomes até agora lançados. Se continuar o número excessivo não vamos eleger stadual ou federal. Até agora são dez os candidatos a Estadual divididos por 100 mil votos, não vai ninguém.