Vergonha na Capital Política

O ex-Prefeito de Lages Elizeu Mattos, denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) pelos crimes de organização criminosa, fraude à licitação e corrupção passiva, foi condenado em primeira instância a penas que somam 24 anos, quatro meses e 13 dias de prisão, além da perda do cargo público de assessor partidário na Assembleia Legislativa de Santa Catarina e pagamento de multa.                                                                                                                                                   Os crimes foram apurados a partir da Operação Águas limpas, desenvolvida pelo GAECO em 2014. As investigações demonstraram que o então Prefeito liderou uma organização criminosa formada por servidores municipais e empresários com a finalidade de manter o vínculo contratual da empresa Viaplan Engenharia com a Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (SEMASA), mediante o recebimento de propina mensal.                                                                                                                                                                                    Conforme ressalta o Juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Lages na sentença, as provas reunidas pelo GAECO durante a investigação preliminar demonstraram, de maneira inequívoca, a atuação da organização criminosa formada por agentes públicos e representantes da empresa, capitaneada pelo então Prefeito de Lages, no âmbito da administração pública municipal.                                                                                                                                                            Para o cidadão lageano e catarinense que tinha Lages como a capital catarinense da política, tais fatos trazem vergonha ao município, principalmente depois de políticos como Vidalzinho, Celso e Nereu Ramos.

Uma ideia sobre “Vergonha na Capital Política

  1. Absurdo, fato lastimável e vergonhoso, vergonha para Lages e para os lageanos, esperamos que estas pessoas sejam banidas de uma vez por todas da vida pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.