A desconstrução da ética jornalística

Olivete Salmoria há tempos circula pelas mídias da cidade. Sua formação acadêmica lhe permite transitar com  certa desenvoltura em seu blog, coluna impressa, bem como lecionar ética em curso de jornalismo.                                                       O que espanta é o uso que faz de seu ofício que não raro é usado para, sem o menor pudor, atacar veementemente ações daqueles que não lhe trazem benefícios, ou seja, sem favorecimento não existe mérito algum que possa ser observado e muito menos enaltecido, quiça incentivado.                                                                                                                                           É o que se constata a tudo que se refere a atual administração. Não há o que se faça que contente Olivete.                                                                                                                                                                                                                                Porém, quando se tratava da administração anterior, quando a jornalista era remunerada pela mesma, os elogios e possíveis feitos imagináveis e até mesmo inimagináveis eram constantemente emplacados e estampados nos veículos que a mesma tinha domínio. Enaltecimentos e aplausos esfuziantes eram incessantes. Ora, fácil chegar a tal conclusão , afinal a amizade estreita com a Executiva de Comunicação da época e a Presidente da SAMT, renderiam uma parceria que, infelizmente,  quando falta ética  e bom senso dão chances para a imprensa marrom.                                                                                                                                                                     Lastimável uma profissional que poderia contribuir de maneira imparcial , isenta,  com o desenvolvimento de nossa cidade, ser como já não pode mais esconder, comprovadamente considerada um instrumento de retrocesso de progresso cultural e social, disseminando uma formação errônea de opinião baseada em interesse próprio.

2 ideias sobre “A desconstrução da ética jornalística

  1. Patrocínio!
    É a única explicação que encontro para esta Jornalista e outros colegas dela, defenderem de forma tão frequente as desastradas gestões do “manda brasa”.
    Não podemos esquecer que, sob esta sigla partidária encontramos figuras como MT, Índio, Angorá, Quadrilha, Caju, Cabral, Geddel, Calheiros, Cunha, etc… Etc… Etc..
    E quem inocentemente eleje qquer candidato, de qualquer nível (municipal, estadual ou Federal) desta ‘sigla’, está indiretamente dando força e vigor para toda esta patota continuar surfando no erário público.
    Olhando a história recente da gestão municipal anterior, podemos perceber que uns constroem, outros apenas se servem do que foi construído, destruindo tudo o que puderem na sanha de usufruir do que é público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.