A Festa é nossa e que continue assim.

Como todo mundo está dando sua opinião, também gostaria de deixar a minha. Participei da Festa do Pinhão como organização, como imprensa e até como empresário (Circus Hot Dog), por isto conheço um pouquinho de sua história. O atual modelo não saiu da cabeça de ninguém, foi se moldando com o tempo e se adaptando ao gosto do público e da organização.  Lembro da resistência em se eliminar as costaneiras, por exemplo .A atual parceria público privado é a ideal. A Prefeitura fica com a Sapecada, Recanto e Rainhas e a iniciativa privada toca os grandes shows no Parque.  A Prefeitura mantém a fiscalização do que acontece no Parque (os secretários continuam com os plantões) , e sugere mudanças sempre que a comunidade aponta. Com relação ao Mohafestival, hoje é um evento de parceria com a Green Valley de Itajaí e perdeu aquele charme de ser uma festa realizada pelos amigos do Moha. A prova disto é que o Warung Tour, realizado no Shopping reuniu mais gente, por ser mais barato, sem divisão de espaços internos (não tem área vip numa festa vip), e foi organizado por DJ’s daqui da terrinha, ao contrário do evento do Parque, que prestigiou DJ’s de fora. Acredito que no próximo ano poderia acontecer as duas Festas de música ele-trônica, uma na quinta e outra no sábado sem aquela decoração cafona em vermelho. Os empresários Beto Ody e Lauri da GDO (parceiro de muitos anos) , é lógico que querem o retorno do investimento, mas são pessoas agradáveis e que tem se mostrado parceiros da cidade. Portanto vida longa para a parceria público privada, na Festa que é nossa sim. A cidade ganha no Parque e principalmente fora dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.