Acabaram também com a greve do Simproel.

Na greve dos servidores municipais, além de usarem os comissionados e contratados para votar contra a greve, usaram o artifício de que o abono ajuda quem ganha menos. Já para acabar com a greve dos servidores professores o artifício foi mais ou menos parecido.  Os usados desta vez foram os professores que trabalham na educação infantil em regime integral, que são maioria e recebem menos e que agora receberam o regime de 6 horas, pagamento de 100% na hora atividade e o famigerado abono de 130 reais. Repito, houve distinção  aos índices praticados e, consequentemente, ofensa ao disposto pelo artigo 37, inciso X, da Constituição Federal (a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o parag. 4 do artigo 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei especifica, observada a iniciativa privativa em cado caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices). Pontos negativos da greve: 1) Professores que não deixaram alunos entrar em sala. 2) Executivo que ameaçou de demitir os diretores grevistas. 3) Ex sindicalista e ex vereadora que ficaram do lado do executivo, contra a classe.

Publicado em educação por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

Paulo Marques é formado em Administração de Empresas pela FAE/PR e em Direito pela UNIPLAC. No jornalismo, atua desde os anos 90, com passagens pelas rádios Clube, UDESC FM e 101 FM. Na televisão, passou pelas tvs SCC, Tele Câmara, TV Univest e Nova Era TV. Escreveu para vários jornais de Lages e de Curitiba/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.