Ainda a questão da Avenida Duque de Caxias.

Edson Varela levanta a questão da continuidade da Av. Duque de Caxias, e eu rebato. Não custa lembrar que a administração passada entregou o trecho da Avenida Carahá até o monumento do Correia Pinto, quase pronto, inclusive com o sistema de esgoto concluído. O problema está no trecho entre a Carahá e o trevo do Batalhão (BR-282), por conta das modificações efetuadas nesta gestão, para favorecer uns poucos em detrimento de muitos, inclusive sem o esgoto sanitário.  Mas parece que a sorte está do lado dos muitos, contra os poucos, pois projeto de lei do Senado, aprovado em decisão terminativa, que agora segue para a Câmara, obriga as prefeituras implantarem redes subterrâneas de esgoto, água, energia, telefonia e gás, antes de pavimentar as vias. Como o Governo do Estado tinha pedido RS 10 milhões para a rede subterrânea, baixou para RS 1,7 milhões e agora vai fazer de graça, e vai levar um tempo para executar a obra, e com a Lei aprovada na Câmara, a Prefeitura parece que vai ser obrigada a fazer a rede de esgoto. Menos mal, ficando modificado apenas o projeto que previa uma via exclusiva para ônibus, e que agora vai virar estacionamento.

Projeto original foi modificado.

Projeto original foi modificado.

Publicado em Economia por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

Paulo Marques é formado em Administração de Empresas pela FAE/PR e em Direito pela UNIPLAC. No jornalismo, atua desde os anos 90, com passagens pelas rádios Clube, UDESC FM e 101 FM. Na televisão, passou pelas tvs SCC, Tele Câmara, TV Univest e Nova Era TV. Escreveu para vários jornais de Lages e de Curitiba/PR.

2 pensou em “Ainda a questão da Avenida Duque de Caxias.

  1. Essa Duque de Caxias tá uma baderna! De que adianta placas pedindo desculpas pelo transtorno, sendo que os pedestrem nao possuem seguranca alguma ao transitar pela avenida… Nota ZERO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.