Faleceu radialista.

No final da manhã vem a informação  morte do radialista Cláudio Oliveira. Foi encontrado por colegas da Comunicação da Prefeitura de Lages sem vida em seu apartamento. Faleceu provavelmente vítima de infarto fulminante. Cláudio Oliveira tinha 72 anos. Foi meu colega de trabalho por mais de seis anos.  Cuidava dos programas de rádio na Comunicação da Prefeitura. Grande pessoa.

Falecimento

Faleceu hoje em Floripa a Sra. Tereza Ramos, aos 87 anos. Ela era filha do ex-prefeito Vidal Ramos Jr. (Vidalzinho). Foi prefeito de Lages de 1956/1961. Sua mae era a Sra Emilia. Dona Tereza era casada com o ex-prefeito de Lages Áureo Vidal Ramos (Nuta) 1969 a 1973. Os dois ex-prefeitos eram filiados ao antigo PSD.

Revitalização do centro

Na última sexta feira foi conhecida a empresa que venceu a licitação para tocar as obras de revitalização do centro. Entre duas , a Terra Engenharia foi a vencedora. É a mesma empresa que esta fazendo o mesmo tipo de serviço no Mercado Municipal. Ao valor de 13 milhões , a empresa tem dois anos para executar a obra. É mais uma obra que estava parada e agora na atual administração é retomada a exemplo do Ponte Grande, UPA e Mercado Público.

Calor no Rio

A bailarina Aline Riscado aproveitou o sol e as altas temperaturas registradas no Rio de Janeiro para curtir um dia ao lado das amigas , na praia da Barra da Tijuca. De biquíni florido, a dançarina exibiu sua excelente forma e se refrescou no mar e na ducha, sendo flagrada pelas lentes dos paparazzos.

A desconstrução da ética jornalística

Olivete Salmoria há tempos circula pelas mídias da cidade. Sua formação acadêmica lhe permite transitar com  certa desenvoltura em seu blog, coluna impressa, bem como lecionar ética em curso de jornalismo.                                                       O que espanta é o uso que faz de seu ofício que não raro é usado para, sem o menor pudor, atacar veementemente ações daqueles que não lhe trazem benefícios, ou seja, sem favorecimento não existe mérito algum que possa ser observado e muito menos enaltecido, quiça incentivado.                                                                                                                                           É o que se constata a tudo que se refere a atual administração. Não há o que se faça que contente Olivete.                                                                                                                                                                                                                                Porém, quando se tratava da administração anterior, quando a jornalista era remunerada pela mesma, os elogios e possíveis feitos imagináveis e até mesmo inimagináveis eram constantemente emplacados e estampados nos veículos que a mesma tinha domínio. Enaltecimentos e aplausos esfuziantes eram incessantes. Ora, fácil chegar a tal conclusão , afinal a amizade estreita com a Executiva de Comunicação da época e a Presidente da SAMT, renderiam uma parceria que, infelizmente,  quando falta ética  e bom senso dão chances para a imprensa marrom.                                                                                                                                                                     Lastimável uma profissional que poderia contribuir de maneira imparcial , isenta,  com o desenvolvimento de nossa cidade, ser como já não pode mais esconder, comprovadamente considerada um instrumento de retrocesso de progresso cultural e social, disseminando uma formação errônea de opinião baseada em interesse próprio.