Golpe no golpe.

Conheci os irmãos delatores sertanejos (Joesley & Wesley), que poderia ser o nome de uma dupla caipira, em duas oportunidades em Santa Catarina. Na primeira vez em Floripa, quando o Joesley chegou quase duas horas atrasado para anunciar o aporte de investimentos na unidade da Seara em Lages (antigo Frigoplan), em 2014 na Associação dos Médicos. Na segunda vez, foi em Lages no Rancho Rochedo, quando o Wesley, convidado pelo Roberto Amaral, ficou quase duas horas falando de suas empresas e dele mesmo, inclusive dizendo que seria candidato ao governo de Goiás, pelo PSDB.                                                                                             Os dois voltam ao foco da política catarinense pelas acusações que fazem de terem repassado contribuição para políticos do estado. Vale ressaltar que os Partidos, PSD/PMDB e PP, relataram em prestação de contas ao TRE/SC, todos os valores recebidos via diretórios nacionais dos respectivos partidos, da JBS.  

Os “extras”, vão depender da comprovação de quem acusa, pois não basta a

Segundo perícia fita foi cortada.

delação, tem de provar. E se depender da perícia de São Paulo, que constatou que 45 cortes foram feitos na fita gravada pelos irmãos sertanejos e apresentada como prova da delação, fica difícil provar que o que estão afirmando seja verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.