Ingresso deve ter mesmo preço.

A notícia de que a cobrança de valores de ingresso diferente para homens e mulheres é ilegal e que bares, restaurantes e casas noturnas terão um mês para se adequarem gerou discussões e reacendeu o debate sobre igualdade de gênero na noite. Em Santa Catarina, as principais empresas dos setores de lazer e entretenimento começam a se preparar para atender a nota técnica do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, do Ministério da Justiça e Segurança Pública. O órgão, parte  da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), divulgou o documento na última segunda-feira .Algumas casas de Santa Catarina já trabalhavam com venda de ingressos unissex de forma parcial antes da divulgação da nota técnica.                                                                                                  Sou contra também à meia-entrada. O Brasil é um dos poucos países do mundo que tem este tipo de diferenciação entre espectadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.