Lages com fome.

Um programa social desenvolvido por algumas  Ongs, o Lages 100 Fome que atendia em média 20 mil pessoas, não recebeu este ano nenhum centavo da Prefeitura. Na gestão anterior eram repassados em torno de RS 45 mil para serem divididos entre oito Ongs que fazem parte da rede de atendimento do  programa. Como Lages é dentre as dez maiores cidades do Estado a mais pobre, a equação é simples: sem trabalho e comida nos bairros o cidadão se desloca para o centro da cidade para mendigar. O professor Ari Martendal, um dos coordenadores do Programa afirma que “além da imensa pobreza material de nossa população, estamos sendo atacados por enorme crise de inteligência. Parece que pessoas importantes estão olhando para as nuvens, para não darem de cara com nossa triste realidade”. O Professor afirma ainda que “48.000 pessoas ou 30 % de nossa população enfrenta dificuldades”pelo baixo salário ou por desemprego. A manutenção do programa depende de convênio com a prefeitura. O professor, um anarquista por opção tem uma coluna semanal no jornal O Momento, em que seguidamente tem denunciado esta situação, e para esta quinta feira promete mais. Vamos aguardar..

Publicado em Economia por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

Paulo Marques é formado em Administração de Empresas pela FAE/PR e em Direito pela UNIPLAC. No jornalismo, atua desde os anos 90, com passagens pelas rádios Clube, UDESC FM e 101 FM. Na televisão, passou pelas tvs SCC, Tele Câmara, TV Univest e Nova Era TV. Escreveu para vários jornais de Lages e de Curitiba/PR.

1 pensou em “Lages com fome.

  1. Valeu sua inteligente nota. De fato, na edição de quinta, “esparramo” bem o assunto. Sou seu leitor diário. Abraços..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.