Nem que chova canivete.

Interlocutores próximos a Raimundo Colombo tem dito que ele não renuncia ao governo em abril de 2014 como deseja uma parte do PMDB, para efetivar o vice Eduardo Pinho Moreira, como fez Luis Henrique em 2006. Ontem em Floripa no encontro do partido, o deputado Mauro Mariani (PMDB) afirmou que “não há força política que consiga impedir o PMDB de ter candidato próprio”. O senador Luiz Henrique  que pelo menos aparentemente, defende a reeleição de Colombo, com o PMDB indicando o vice e a ministra Ideli Salvatti (PT)  como candidatura única ao senado. A definição do partido deve se dar quando da eleição do novo diretório estadual. Dependendo de qual corrente vencer, vai se saber a posição do partido. Raimundo Colombo que começa agora a desfrutar da popularidade de seu governo com as obras do Pacto por Santa Catarina, admite no máximo se licenciar em agosto/setembro de 2014, mas a palavra renúncia, segundo seus assessores, não faz parte de seu dicionário.

Colombo (PSD) e Romildo Titon (PMDB)

Colombo (PSD) e Romildo Titon (PMDB)

Publicado em Política por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

Paulo Marques é formado em Administração de Empresas pela FAE/PR e em Direito pela UNIPLAC. No jornalismo, atua desde os anos 90, com passagens pelas rádios Clube, UDESC FM e 101 FM. Na televisão, passou pelas tvs SCC, Tele Câmara, TV Univest e Nova Era TV. Escreveu para vários jornais de Lages e de Curitiba/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.