No Tribunal Superior

O nome do governador Carlos Moisés da Silva (PSL) apareceu pela primeira vez nas investigações da Operação Oxigênio, que apura irregularidades na compra de 200 respiradores com pagamento antecipado de R$ 33 milhões pelo governo do Estado.

As menções ao governador fizeram com que a investigação fosse remetida ao Tribunal de Justiça/SC . Moisés tem foro privilegiado e processos que apurem crimes cometidos pelo governador devem ser julgados no STJ. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira (22).

A investigação identificou três menções ao governador Carlos Moisés em conversas por aplicativo dos investigados na operação. A informação consta na decisão em que o juízo da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital declina da competência para seguir com o caso e remete o processo ao STJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.