Quem fica e quem sai do PSL

A decisão do presidente Jair Bolsonaro de sair do PSL para fundar um novo partido, que terá o nome de “Aliança pelo Brasil”, provoca mudanças também na política de Santa Catarina. A divisão que vinha tomando conta da sigla nos últimos meses foi sacramentada na reunião  em Brasília, em que Bolsonaro anunciou a deputados federais do partido a saída da legenda pelo qual se elegeu presidente.

Em Santa Catarina, dos quatro deputados federais do PSL, pelo menos dois já confirmaram a intenção de seguir o presidente para o novo partido: Daniel Freitas e Coronel Armando.  Já Caroline de Toni  informa que ainda não há uma resposta sobre essa decisão, mas afirmou que estará apoiando o governo “onde quer que o presidente esteja”.

 O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) já havia antecipado na semana passada, que permaneceria na legenda mesmo com uma eventual saída do presidente.

O governador voltou a reforçar a intenção de se manter no partido. “O governador permanece no PSL. Ele nunca foi filiado a outro partido, e pretende manter o compromisso da filiação”, informou nota enviada pela assessoria.                                                                                                                                              Entre os deputados estaduais, o PSL também deve perder a maioria das cadeiras conquistadas na eleição do ano passado. Dos seis parlamentares da Assembleia Legislativa , pelo menos quatro já sinalizaram a intenção de deixar o partido para seguir os passos do presidente Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.