A obra de reconstrução da Duque II.

Os técnicos da secretaria de obras de Lages que elaboraram o projeto de revitalização da avenida Duque de Caxias além da rede de esgoto de toda a avenida (uma parte já está pronto), e como pensaram em duas pistas para carros e uma terceira como corredor exclusivo de ônibus, também projetaram a passagem subterrânea de toda a fiação inclusive da rede de energia elétrica. Com o projeto em mãos o então Prefeito da época, Renatinho foi em Floripa falar com a direção da Celesc para pedir que a empresa executasse a obra. Foi recebido pelo diretor lageano José Carlos Oneda.  A Celesc através da Gerencia Regional Sr. Etamar Eger, em fevereiro de 2012 respondeu que o custo da obra seria de RS. 10 milhões de reais. Como o custo total da obra era de RS 6,5 milhões de reais seria impossível  para a Prefeitura bancar este custo, a obra continuou sendo tocada e a Prefeitura esperando que a Celesc voltasse atrás em sua decisão. Portanto o Gerente regional da Celesc sabia sim da intenção da Prefeitura em fazer a rede subterrânea.

Diretor da Celesc e Prefeito

Diretor da Celesc e Prefeito

 

pedido de rede subterrânea

pedido de rede subterrânea

 

resposta de Etamar Eger

resposta de Etamar Eger

 

Publicado em Economia por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

Paulo Marques é formado em Administração de Empresas pela FAE/PR e em Direito pela UNIPLAC. No jornalismo, atua desde os anos 90, com passagens pelas rádios Clube, UDESC FM e 101 FM. Na televisão, passou pelas tvs SCC, Tele Câmara, TV Univest e Nova Era TV. Escreveu para vários jornais de Lages e de Curitiba/PR.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.