Da continuidade das obras.

Certa vez entrevistei aqui em Lages o Beto Barreiros ( Box 32), ele me falou que  a prefeita Ângela Amin, tinha implantado em Floripa o melhor sistema de transporte urbano do país, e que a cidade não teria problemas na área nos próximos trinta anos. Pois bem, o Dário Berger assumiu e não deu continuidade na conclusão de novos terminais, e o sistema hoje não funciona a contento. Aqui em Lages, a administração passada contratou uma empresa local para modificar nosso sistema de trânsito, tão criticado na época, e que hoje funciona bem. Digo isto, porque para o funcionamento do projeto apresentado existe a necessidade da continuidade das obras. A Avenida Anastácio Mota (desce a Otacílio Costa/rodoviária), teria mão única descendo, e a Frei Gabriel subindo. São mudanças necessárias e que só agora começam a ser realizadas. Já no acesso sul foi modificado o projeto original que previa duas pistas, na curva da morte, sob a alegação de economia para asfaltar outra rua no Caça e Tiro. A nova pista iria se integrar na futura Avenida Ponte Grande. São mudanças que futuramente podem trazer problemas. O responsável pelo projeto original, engenheiro Ronaldo, da Profuzzi, poderia ser ouvido. Chama o rapaz.

Av.Anastácio Mota (foto Fabian Varela)

Av.Anastácio Mota (foto Fabian Varela)

Publicado em Geral por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

Paulo Marques é formado em Administração de Empresas pela FAE/PR e em Direito pela UNIPLAC. No jornalismo, atua desde os anos 90, com passagens pelas rádios Clube, UDESC FM e 101 FM. Na televisão, passou pelas tvs SCC, Tele Câmara, TV Univest e Nova Era TV. Escreveu para vários jornais de Lages e de Curitiba/PR.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.