Do amadorismo do Marcius Machado.

Tem aquele ditado que diz que o único amador que se deu bem foi o Amador Aguiar, que era o dono do Bradesco. Na política não é diferente, é coisa para profissional. Digo isto, em função da perda do mandato eletivo de vereador ,  Marcius Machado. Em sendo advogado e cientista político, não poderia nunca ter entrado na fria que entrou. O PPS, seu partido, queria que ele se afastasse para abrir caminho para a candidatura do Coruja, e o primeiro suplente do DEM, queria sua vaga na Câmara. Marcius Machado trocou o PPS pelo PR, com a promessa de que o PPS não buscaria sua vaga e nem perderia a presidência da Câmara de Vereadores. Por sete votos a zero o TRE cassou seu mandato, e já tinha perdido a presidência da Câmara. A única maneira de trocar de partido sem perder o mandato é migrando para um partido novo, como fizeram os vereadores Eloi, Felício, Apolinário e Pastor Mendes, que eram contra e agora são PROS, e não perderam o mandato eletivo. Como já estava no PR antes de 4 de outubro, Marcius pode ser candidato a deputado estadual, mas vereador, não mais. Pagou por não jogar em time, é individualista, sonhador e acima de tudo ingenuo. Como vai agora trabalhar para o Jorginho Mello (PR), para federal, em sendo candidato de fora, vai encontrar dificuldades, mas como teve 3.800 votos para vereador, tem ainda a possibilidade de ficar na primeira ou segunda suplência em seu novo partido o PR.

E aí Jura, vai votar em mim para deputado ?

E aí Jura, vai votar em mim para deputado ?

Publicado em Política por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

Paulo Marques é formado em Administração de Empresas pela FAE/PR e em Direito pela UNIPLAC. No jornalismo, atua desde os anos 90, com passagens pelas rádios Clube, UDESC FM e 101 FM. Na televisão, passou pelas tvs SCC, Tele Câmara, TV Univest e Nova Era TV. Escreveu para vários jornais de Lages e de Curitiba/PR.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.