Relatório da Fiesc.

Fiesc, regional Lages, apresentou semana passada, um relatório apontando falhas na parte duplicada da BR-282, que começa no aeroporto e vai até o bairro São Paulo (cemitério Parque da Saudade). O que chama a atenção, primeiramente, é que a entidade, em momento algum, fez qualquer campanha para que a obra acontecesse. Assim mesmo, um relatório apresentando falhas, seria bem vindo, mas porque através da FIESC ? Talvez o sindicato dos Engenheiros/Arquitetos pudesse ter feito. Tudo bem, mesmo assim para quem acompanhou o relatório, parece que a obra estaria condenada. Acho estranho porque existe uma empresa idônea de Curitiba, que só faz a fiscalização, e nada de anormal até agora foi apresentado. Lembro que em certo momento da obra, foi dito que seria impossível de transitar no viaduto que liga a BR a Avenida Ponte Grande, e passando por lá pode se verificar que o trânsito é normal. Vamos aguardar agora o contraponto do Dnit, mas acima de tudo , esperar que obra fique pronta. Em tempo, o relatório da Fiesc, chega a apresentar problemas no final das vias, já no bairro São Paulo, que foi feito pela Prefeitura recentemente, e que já apresenta problemas, e aí é desconhecimento de causa, e tira toda a seriedade sobre o relatório apresentando as falhas.Não se quer tirar a credibilidade do relatório, mesmo porque e entidade e as pessoas são da maior importância para a cidade, mas sim que se possa iniciar um novo diálogo entre as partes envolvidas e que a sociedade possa ter uma definição do que está acontecendo.viaduto 2

Publicado em Segurança por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

Paulo Marques é formado em Administração de Empresas pela FAE/PR e em Direito pela UNIPLAC. No jornalismo, atua desde os anos 90, com passagens pelas rádios Clube, UDESC FM e 101 FM. Na televisão, passou pelas tvs SCC, Tele Câmara, TV Univest e Nova Era TV. Escreveu para vários jornais de Lages e de Curitiba/PR.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.