Saudades do meu time.

Como nasci e me criei na rua Correia Pinto, ao lado da mercearia Guarani (hoje bar do Cigano), e meu pai era amigo do Major Estrela, desde pequeno torci para o Guarani, maior adversário do Internacional, que tinha maior torcida. Lembro do Jota Batista, kadunga, Almirante, Bugrinho e do Néco que deixava o Setembrino lá atrás quando arrancava sem bola. Lembro do clássico Guanal, no Vermelhão de Copacabana ou lá no Estádio Municipal.

Camisa retrô do Guarani

Camisa retrô do Guarani

 Mais tarde, depois de o Batista Luzardo Muniz ter abandonado o Guarani, é que mudei de time, pois ficou sendo o único time da cidade, é que passei a torcer pelo Inter. Tudo isto me passou pela cabeça, quando encontrei hoje o fotógrafo Nilton Wolff, com a camisa do velho Guarani, saudades dos bons tempos.

Publicado em esporte por admin. Marque Link Permanente.

Sobre admin

Paulo Marques é formado em Administração de Empresas pela FAE/PR e em Direito pela UNIPLAC. No jornalismo, atua desde os anos 90, com passagens pelas rádios Clube, UDESC FM e 101 FM. Na televisão, passou pelas tvs SCC, Tele Câmara, TV Univest e Nova Era TV. Escreveu para vários jornais de Lages e de Curitiba/PR.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.