Vereador pode se complicar.

O Vereador Osni Freitas (PDT), o Bugre, pode ter seu mandato cassado por uso ilegal de servidor público em horário de expediente para fins particulares. Caso Bugre seja cassado quem assume é o primeiro suplente Adilson Padeiro. O vereador Bugre, no dia 16 de janeiro, uma segunda-feira, às 15h50min, horário de expediente, teria  levado seu assessor parlamentar Layon Cordioli Schneider em viagem de negócios de sua empresa para o RS. Ambos foram comprar batatas para revenda na mercearia do vereador. O fato curioso nessa viagem foi que o próprio assessor filmou e divulgou nas redes sociais o ato de ilegalidade.                                                        Embora os vereadores estivessem de recesso na data, os servidores lotados nos gabinetes deveriam no mínimo estar cumprindo horário. O assessor foi nomeado no dia 02/01/2017. E o horário da Câmara é das 13h às 19h.  Essa viagem

assessor e vereador em viagem

de vereador em companhia de assessor fere o Art 41 incisos II e VIII da Lei Orgânica Municipal. Lei da improbidade Administrativa – Art 10, inciso II e art 11, inciso I da Lei 8.429/92.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.